Aromaterapia para idosos e seus benefícios

Aromaterapia para idosos e seus benefícios

A aromaterapia como poder dos cheiros, certamente você já ouviu falar. Por isso neste post, vamos discorrer sobre os benefícios da aromaterapia para idosos.

Em nossa vida diária, muitas vezes encontramos ervas medicinais como alecrim, camomila, sálvia, hortelã. Mas esquecemos que dentro dela estão ocultos princípios essenciais que são muito benéficos para o nosso bem-estar.

Em vez disso, as civilizações antigas o tinham muito em mente e por muito tempo nossos ancestrais foram curados com as essências extraídas dessas ervas, que preveniam e curavam doenças.

Um conhecimento moderado e uso do mundo das espécies de plantas e suas essências podem prevenir e neutralizar o desgaste físico e psicológico. Um dos exemplos mais claros que teríamos é o estresse que é, sem dúvida, o maior inimigo, hoje, do nosso equilíbrio energético.

O que é aromaterapia?

A aromaterapia é a busca pelo bem-estar e o desenvolvimento do potencial humano por meio da utilização de óleos essenciais de plantas, como oleo de melaleuca.

Por milênios, as essências têm sido usadas por suas propriedades anti-sépticas, anti tóxicas, curativas, antiparasitárias, anti-reumáticas, tonificantes, relaxantes e de longa duração, etc.

E eles usam um dos sentidos humanos mais primitivos e arraigados no cérebro humano: o olfato. Lembre-se de que através do olfato existem odores que vêm diretamente para emoções muito arraigadas e básicas, como tristeza, alegria, medo ou mesmo raiva.

Basta fechar os olhos e cheirar os lençóis passados ​​pela mãe: um sentimento de ternura invade o nosso coração. A busca pelo uso da aromaterapia em idosos tem duas vertentes:

  • Fazer com que a reminiscência funcione, tão importante em pessoas afetadas por deficiência cognitiva;
  • Uso dos benefícios da aromaterapia em idosos para alcançar equilíbrio emocional e físico duradouro.

De onde vêm os óleos essenciais?

Os óleos essenciais usados ​​na aromaterapia vêm de uma ampla variedade de fontes naturais, como ervas e flores. O que talvez não seja tão conhecido é que os óleos essenciais também podem ser obtidos das folhas e sementes. 

Bem como cascas de frutas. E mais ainda, também a partir de madeira, raízes e até resinas. O trabalho de extração do óleo é muito meticuloso e técnico. É preciso muito material e cuidado para conseguir o óleo essencial. Em contraste, seu poder de bem-estar também é muito alto.

Uso de óleos essenciais

Vimos a base da aromaterapia e sua aplicação em idosos. Também de onde eles vêm. Podemos não ser tão claros quanto ao fato de que as essências naturais são substâncias muito potentes, usadas de acordo com instruções muito precisas.

Existem essencialmente duas vias de aplicação: a via interna, ou seja, via oral, e a via externa, por inalação, banhos, massagens, cataplasmas, etc. Nos tratamentos físicos, e especificamente na técnica de massagem, é adicionado o óleo essencial ao creme de massagem habitual ou misture com um óleo de massagem (geralmente de amêndoa).

E nos tratamentos cognitivos, usa-se a aromaterapia para procurar essas memórias, aquelas emoções mais profundas, mais arraigadas e mais internas.

Indicações de óleos essenciais

Cada óleo serve para uma ação específica? Cada óleo essencial tem uma ou mais indicações, não muito mais que duas ou três. Os benefícios da aromaterapia em idosos, os mais claros de acordo com a patologia são:

  • Ansiedade/estresse: Podemos usar verbena, flor de laranjeira, pinheiro ou jasmim;
  • Arteriosclerose: Junípero ou alecrim;
  • Artrite: camomila, alecrim ou salva;
  • Osteoartrite: cânfora , eucalipto, lavanda, camomila, malva ou alecrim;
  • Circulatório: cipreste ou tomilho;
  • Depressão: manjericão, flor de laranjeira, bergamota, jasmim, lavanda ou hortelã entre outros;
  • Dor nas articulações: calêndula, alfazema ou alecrim;
  • Dores musculares: cipreste, morango, alecrim ou tomilho;
  • Edema (devido à retenção de líquidos): Junípero, gerânio, menta ou alecrim;
  • Inflamação: Lavanda, camomila ou mirra;
  • Insônia: Flor de laranjeira, alfazema, rosa, verbena ou camomila;
  • Rampas: manjericão, morango ou capim-limão;
  • Reumatismo: Junípero, eucalipto, alecrim ou morango.

Precauções de aromaterapia em idosos

Embora sejam produtos naturais, alguns cuidados precisam ser seguidos para que os efeitos da aromaterapia em idosos tenham mais efeitos. 

Acima de tudo, deve-se ter muito cuidado com as pessoas que sofrem de alergias. Nestes casos é aconselhável testar o óleo aplicando primeiro uma gota do óleo diluído no interior do pulso e aguardar 24 horas, por exemplo, para ver se há alguma reação.

É muito importante aplicar o óleo essencial sempre diluído quer à base de óleo de amêndoa ou hidratante, nunca aplique diretamente na pele pois pode irritá-la. E acima de tudo, é necessário evitar o contato com os olhos ou as mucosas.

Não é recomendável tomar banho de sol após a aplicação de essências, pois podem ser desencadeadas reações fotoalérgicas na pele. Além dos efeitos que os óleos essenciais têm na saúde, é importante destacar as sensações positivas geradas pela experiência da aromaterapia em grande escala.

Paula Villa Longe